Pesquisar este blog

terça-feira, 26 de junho de 2012

Brenda Gabriela-É Reencontrada


Ao final da tarde de segunda-feira, 25 de Junho, a garota Brenda Gabriela foi encontrada pela Polícia Militar. Minutos antes dos soldados chegarem a criança era carregada nos braços por um desconhecido, aparentemente morador de rua.

Alex Ramos de Carvalho, respositor de lanchonete, vizinho de Brenda, a reconheceu e correu em sua direção, perguntou seu nome e ela confirmou ser quem é balançando a cabeça, conversou com o homem que a detinha em seu colo dizendo que a conhecia e conhecia a família dela, ele negou e disse que era o pai, então o comerciante pediu aos colegas que chamassem a polícia e ligou também, quando a menina foi posta no chão e o desconhecido fugiu. 

A PM recebeu ligação do rapaz que a reconheceu, no número telefônico 190, e se dirigiu à Rua Vergueiro, nº 1219, Vila Mariana, no bairro Paraíso, na zona sul da cidade de São Paulo. Segundo um policial militar, a garotinha estava próxima de uma lanchonete, tremia de frio e cheirava urina. 

Testemunhas contaram que ela era vista circulando dentro de uma carroça puxada por um homem. A carroça foi encontrada horas depois pela polícia, dentro estavam objetos de uso infantil. 

A menina de 4 anos havia desaparecido no último dia 10 na região do Glicério, centro da capital paulista , durante evento festivo da Igreja Pentecostal Deus é Amor. A IPDA fez campanha na Internet, sites e parte da Blogosfera Evangélica, inclusive o UBE Blogs - Menina de 4 anos desaparece durante evento na Igreja Deus é Amor - como também programas seculares de televisão, transmitidos na praça paulistana, divulgaram o caso, que já era considerado pela polícia como rapto.

O site oficial da Igreja Deus é Amor informa o reaparecimento da criança e agradece pelas orações e ajuda na procura. 

A mãe Geiza Maria da Silva, empregada doméstica então desempregada, emocionou-se muito ao rever a filha, com ela nos braços chorou e agradeceu a Deus pelo reencontro, ocorrido no 5º Distrito Policial.

Os cabelos da garota foram cortados pela pessoa que a raptou. Exames prelimirares no Hospital Pérola Byington atestam que a menina não foi molestada sexualmente.

Que bom, final feliz! "A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos"- Tiago 5.16 b.

segunda-feira, 25 de junho de 2012

Recibos – Por que guardá-los?


RECIBOS, POR QUE GUARDÁ-LOS? Guardar ou não guardar recibos de pagamentos? 
Por Altemir Farinhas*
São muitos documentos, comprovantes, recibos e cada um com um prazo mínimo de arquivamento. 
Para descomplicar a vida de acordo com a Lei Federal no. 12.007 de 30 de julho de 2009, agora todas as empresas públicas e privadas prestadoras de serviço são obrigadas a emitir um único extrato referente aos pagamentos feitos no ano passado, confirmando sua quitação. 
Este único documento substitui para cada tipo de conta os 12 comprovantes mensais do ano anterior e isso deverá se repetir sempre no mês de maio de cada ano. Para facilitar a vida das empresas e evitar gastos com o envio, a declaração poderá ser emitida em espaço da própria conta. 
O prazo que este novo comprovante precisa ficar guardado não muda, continuam sendo cinco anos para a maioria dos serviços. Antes você guardava 10 tipos de comprovantes que multiplicados por 5 anos totalizavam 600 papéis para serem arquivados, agora serão apenas 50. O consumidor não precisará fazer nenhum tipo de cadastro ou requisição, seu único esforço será, evidentemente, o de manter suas contas em dia. 
Cada tipo de documento, recibo ou comprovante tem um prazo de validade, por isso muito cuidado para não jogar fora ou arquivar o que não precisa. Por exemplo, será que a nota fiscal deve ser conservada somente até a data de vencimento da garantia do produto? 
NOTA FISCAL de produto ou serviço deve ser guardada pelo prazo de vida útil do produto, dessa forma o consumidor se resguarda de possíveis defeitos ocultos de fabricação.
IRPF, todos os comprovantes utilizados para a elaboração da Declaração de Ajuste Anual do Imposto de Renda Pessoa Física deverão ser arquivados pelo contribuinte por um prazo de pelo menos 5 anos, começando a valer a partir do primeiro dia útil do ano seguinte ao pagamento. Como a declaração e os seus comprovantes devem ser mantidos durante os 5 anos subsequentes ao da respectiva declaração, conte 6 anos. 
IPTU ou Imposto Predial e Territorial Urbano deverá ser arquivado por 5 anos subsequentes ao da respectiva cobrança e como uma forma de comprovar a propriedade, guarde por 10 anos. 
Comprovantes que devem ser guardados por 5 anos:PVA, contas de consumo, água, luz, telefone e demais serviços essenciais, condomínio, recibo de pagamento de prestação da casa própria, convênio médico, TV por assinatura, honorários de profissionais liberais, outros. Fatura de cartão de crédito com relação à discussão dos juros aplicados. Comprovante de depósito deve-se guardar até a comprovação do crédito em conta corrente. Para comprovação de pagamentos diversos é bom guardar o extrato bancário por 5 anos como forma de comprovar o recebimento de salários (na falta de holerite); de movimentação financeira (fisco, por exemplo). 
Consórcios, guardar os comprovantes até a data da entrega da carta de liberação da alienação fiduciária que é a prova de que o pagamento foi feito.
Mensalidade escolar – guardar até o término do curso, após receber o certificado ou diploma. Quando utilizado para efeito de abatimento do Imposto de Renda, os comprovantes deverão ser arquivados por 6 anos, juntamente com a Declaração.
Carnês do ISS, contribuições do FGTS e encargos vinculados à Previdência Social, exigem que os recibos sejam guardados pelo prazo de contribuição do segurado (35 anos para homens e 30 anos para mulheres). 
Não tem desculpa para manter um bom arquivo com pouco espaço e uma redução enorme de papeis. Uma família em média arquiva mais de 1.200 comprovantes em cinco anos, a partir de agora 100 comprovantes serão suficientes.
 Que essas informações sejam úteis e os ajudem.
 Deus os abençoe,
Altemir Farinhas.
O autor é palestrante e especialista em Finanças Pessoais, treinador do curso de finanças Crown (Universidade da Família) crown@udf.org.brautor dos livros “Cura! Há solução para sua vida financeira” e “Dinheiro? Pra que dinheiro?”.

quinta-feira, 14 de junho de 2012

Menina de 4 anos desaparece durante evento na Igreja Deus é Amor






A garotinha Brenda Gabriela da Silva tem quatro anos de idade; 90 cm de altura; magra; cor branca; cabelo castanho claro, comprido e encaracolado.

A menina desapareceu no domingo próximo passado, 10 de Junho, durante a realização de culto da Igreja Pentecostal Deus é Amor, sede nacional da denominação, no centro da cidade de São Paulo. Brenda estava acompanhada de Geiza Mari Silva, sua mãe, e de um irmão, 8 anos,  quando por volta de 16 horas houve o desaparecimento na porta frontal do templo.

O site da IPDA divulga foto e telefones para quem tiver informações: ligar para 190 - Policia Militar ou à Igreja Pentecostal Deus é Amor 55 11 3347-4702.

Segundo o site G1, a mãe participava de uma passeata, com aproximadamente 60 mil pessoas, em que se comemorava os 50 anos de existência da igreja. A Polícia Militar foi acionada e trabalha no caso.

quarta-feira, 13 de junho de 2012

Quando termina a Lua de Mel


   Não só isso, mas também nos gloriamos nas tribulações, porque sabemos que a tribulação produz perseverança; a perseverança, um caráter aprovado; e o caráter aprovado, esperança.”
(Romanos 5:3-4)

    Quando Termina a Lua de Mel
Tempo de construção de caráter! À medida que vai desenrolando a história em nossa vida de liderança, podemos ver claramente os desafios do estágio da realidade em nossa caminhada. Talvez este seja o estágio mais complexo de nossa vida. É raro o líder apreciar este tema e isto não é nada surpreendente. Se for honesto consigo mesmo, o estágio da realidade será um grande desafio.
No início da liderança podemos ver muitos líderes tendo grande sucesso: tudo parecia em plena lua de mel, um mar de rosas. De repente, as pessoas começam a desafiar sua liderança: “O que você está fazendo? Quem você pensa que é? Podemos enfrentar tudo em nosso ministério, igreja e em nossa vida, pessoas questionando suas ações, forma de pensar e até mesmo sua fé. Então acabou a sua lua de mel e vieram os desafios da realidade. Mas com certeza você não será o único a passar por isso e sentir isso, todos passamos ou vamos passar, pelo fim da lua de mel, agora é o resto do casamento, desafios, decepções, abrir mão, suportar por amor, sujeitar por causa da aliança de Cristo.
Vamos analisar o exemplo de Moisés. Ele conseguiu realizar milagres no Egito. Mais de uma vez, Deus provou que estava com Moisés durante sua liderança. Quando Israel se deparou com o Mar Vermelho, Deus disse a Moisés para usar a autoridade que ele tinha recebido. Como líder, Moisés usou a vara que tinha em sua mão, dividiu o Mar Vermelho e Israel pode atravessar o rio a fim de fugir do exército Egípcio. Este foi o seu sucesso inicial. Ainda havia quarenta anos pela frente, mas Moisés ficou muito contente com o sucesso que teve no início. Não apenas Moisés, mas também sua irmã Miriã e o resto dos israelitas, que pegaram seus instrumentos para cantar e louvar ao Senhor. Houve uma grande festa para celebrar aquela vitória e o sucesso da experiência do Mar Vermelho.
Como sempre acontece quando se tem sucesso no início da liderança, Moisés passou por um período em que ele não buscou o Senhor. Em sua jornada, o povo começou a pedir água – e muito mais. Agora eles estavam no deserto. Onde é que haveria água? Como seria a vida deles naquele deserto? O que comeriam? O que beberiam? O estágio da realidade se instaurou, trazendo para nossa realidade o que fazer agora, com o desânimo das pessoas, a falta de fé, um povo sem compromisso, sem caráter, só cobrança, desapontamentos, críticas e muitas outras coisas que podem ocorrer em sua liderança.
Inicia a prova de seu caráter diante desses quadros, o Senhor que saber: Que tipo de homem ou mulher você será mediante esses desafios? Isso vai servir para aperfeiçoar o seu caráter Cristão.
 Auto descoberta – Uma olhada profunda para dentro de si mesmo
 1º Somos limitados:É fácil para os líderes observar seu sucesso e começar a pensar: “Eu cheguei lá. Sou um líder plenamente desenvolvido!”. Isto é fácil, mas também é uma decepção. Os líderes sempre acreditam que seus sucessos inicias são provas de maturidade e de controle. A tentação é esquecer a mão de Deus em seu papel de líder. Em vez disso, você confia em seu próprio entendimento. Você pode até acreditar que já programou tudo. Esse é o momento quando o líder confronta a realidade de suas próprias limitações.
 2º Tomar decisões em conjunto: No início de nossa caminha da vida, estudamos, fazemos faculdade e nos formamos, logo entramos no mercado de trabalho em busca da realização pessoal e profissional, e não damos conta o quanto estamos sendo treinados para assumir uma liderança. O fato de trabalhar em lugares diferentes e com pessoas diferentes é o treinamento inicial para formação de um líder. No mercado, líder é cargo, na vida Cristã liderar é parte do processo. O processo de obter conhecimento através da experiência, o processo perpétuo de aprendizado, o processo de seguir nossos chamados numa tentativa de seguir ao Senhor. Deixar de lado a ideia de que liderança é tomar decisões por você. Liderança na vida Cristã é aprender como depender do auxílio de Deus, bem como de outras pessoas na tomada de decisões.
 3º Buscar investimento:Na caminhada de liderança temos que nos cercar de investidores que acreditam em nós, para isso temos que mostrar o quanto somos ensináveis e dispostos a aprender. Sempre pense; existem pessoas que estão lhe observando a todo o tempo, suas atitudes, comportamentos e motivações. Eu em particular sou assim, quando encontro um coração humilde e ensinável sinto disposto a investir o meu tempo, ensino como fazer as coisas, pratico junto, disponibilizo recursos e abençoo até financeiramente. Acredito nesse processo, pois assim fizeram e fazem comigo a mesma coisa, não tenho grandes qualidades, porém tenho reconhecimento suficiente que não sei tudo e necessito aprender com homens mais maduros em sua fé do que eu. 
 4º Transparência mútua:Depois de uma caminhada com uma equipe a coisa mais difícil é esconder quem é você. Ser transparente lhe torna vulnerável, deixar que os outros vejam suas fraquezas não te faz pior e sim igual, isso para mim é um estilo de liderança. O processo de transparência começa com as atitudes e não com a fala, mostrar transparência e não falar de transparência, as pessoas carecem saber a quem estão seguindo. Prefiro mil vezes mais andar debaixo de uma autoridade transparente do que me submeter a alguém que nem sei as coisas mais íntimas de seu coração, ou seja, as dificuldades familiares, seus medos, seus pecados confessados e sua relação matrimonial e muitas outras coisas.
É nesse ponto que gera a confiança de alguém lhe disciplinar, escolha alguém para chamar a sua atenção. Primeiro mostre à pessoa quem você é; suas motivações, falhas e pecados, pois as qualidades e qualificações aparecerão sem necessitar mostrar. Temos a indisponibilidade de nos abrir, assim nos fechamos em nosso mundo interior não sendo nem transparentes com o próprio Deus.
Um bom teste para você é iniciar em sua casa, com sua esposa, seus filhos seus parentes e até com seus animais. Assim ficará mais fácil com outras pessoas. Quando criamos o hábito ele mesmo cria em nós a disciplina. Podemos passar a nossa vida ministerial escondendo coisas, mas de Deus é impossível. A sobrevivência de sua vida ministerial está diretamente ligada com o quanto você é transparente.
Perguntas pra Reflexão
  • Você se sente limitado? Em qual área? Procure ajuda em pessoas que não tem as mesmas limitações e aprenda com elas, peça para que as ensine e isso lhe fará mais humilde.
  • Você toma a maioria das decisões sozinhas ou pede conselho e ajuda de alguém ou de Deus? De forma prática quais as pessoas que você quer incluir nesse processo de tomada de decisões? Isso lhe fará mais próximo delas e possivelmente cometerá menos erros.
  • Queremos reconhecimento das pessoas, mas você as tem reconhecido? O quanto você está disponível a ser investido por alguém, ser ensinável a ponto de se deixar aprender? Você tem investido em alguém? Levante agora um ou dois nomes de pessoas que investem em você, o mesmo, quais você tem investido?
  • Esse é o grande desafio para o líder – ser transparente – Você é transparente? As pessoas realmente te conhecem? Você tem um disciplinador, alguém com quem pode abrir o coração? Correr com esse processo é um sinal de sobrevivência, por isso corra atrás de uma ou duas pessoas que você possa abrir seu coração verdadeiramente.
“Já vivi o suficiente para ser surrado pelas realidades da vida, mas não o bastante para ser derrotado por elas”. John Mason Brown
  

quarta-feira, 6 de junho de 2012

OLÁ AMADOS, 
 
OS NÚMEROS ABAIXO SIM SÃO ALGO PREOCUPANTE. QUE LEGADO ESTAMOS DEIXANDO PARA AS PRÓXIMAS GERAÇÕES? 
 
"Todo mundo pensa em deixar um planeta melhor para nossos filhos.Quando é que pensarão em deixar filhos melhores para o nosso planeta?"
 
O QUE ESTAMOS FAZENDO ACERCA DISSO? DEUS NUNCA COLOCA EM NOSSO CORAÇÃO ALGO A FAZER PELO REINO QUE SEJA PENOSO. NUNCA NOS EXIGE ALÉM DO QUE PODEMOS. DENTRO DO NOSSO QUADRADO PODEMOS FAZER MUITO SIM!!!
 
NO LUGAR ONDE VOCÊ ESTÁ (SEJA TRABALHO, MINISTÉRIO, ESCOLA) E NA CIRCUNSTÂNCIA ATUAL DE SUA VIDA (SEJA LÁ QUAL FOR A PRIORIDADE DESSE SEU TEMPO), AINDA ASSIM, NESSA SITUAÇÃO MESMO, VOCÊ PODE FAZER ALGO. INFLUENCIE AS PESSOAS SOBRE OS PRINCÍPIOS DE DEUS! O QUE ELE DIZ SOBRE CASAMENTO? PODEMOS FAZER ISTO RESPEITANDO ÀS DIFERENÇAS, SEM RELIGIOSIDADE, SEM USAR CLICHÊS, SEM EXPRESSÕES TÍPICAS DO CRENTÊS, SEM CONDENAÇÃO. DEUS SEMPRE FALA A VERDADE EM AMOR. AS PESSOAS PRECISAM DE ACEITAÇÃO, APROVAÇÃO E AFIRMAÇÃO. PRECISAMOS - TODOS NÓS - APRENDER MAIS ACERCA DISTO.  O QUE NÃO PODEMOS É CONTINUAR NA OMISSÃO. 
 
DIA 20 DE JUNHO, EU E KARINA FAREMOS 14 ANOS DE CASADOS. PASSAMOS POR CRISES, DIFICULDADES. HOUVE MOMENTOS DE DESESPERO EM QUE ATÉ PENSAMOS EM OPTAR POR ESSA TRÁGICA DECISÃO. MAS, QUANDO UM VALOR FICA ARRAIGADO, ENRAIZADO, ELE É MAIS FORTE QUE A MAIS FORTE DAS CRISES. O PORQUÊ É SIMPLES: DEUS CUIDA DE MANTER OS QUE AMAM SEUS PRINCÍPIOS. AMOR EXIGE ATITUDE! VERDADEIRAMENTE AMAMOS DEUS? QUAL TEM SIDO A NOSSA ATITUDE?

"Assim diz o SENHOR: Ponde-vos à margem no caminho e vede, perguntai pelas veredas antigas, qual é o bom caminho; andai por ele e achareis descanso para a vossa alma; mas eles dizem: Não andaremos." Jeremias 6:16
  
ABRAÇOS!

Cresce percentual de guarda compartilhada

As mulheres ainda detêm a hegemonia na responsabilidade pela guarda dos filhos menores (87,3%), mas houve um crescimento do compartilhamento da guarda dos filhos menores entre os cônjuges, que passou de 2,7% em 2000 para 5,5% em 2010. No país, apenas 5,6% dos filhos menores ficaram sob a guarda dos homens no ano passado.
De acordo com o IBGE, Salvador é a capital que registrou no ano passado a maior proporção de filhos sob guarda compartilhada. Na capital da Bahia, 46,54% dos filhos menores de casais que se divorciaram em 2010 (1.196 pessoas) ficaram sob responsabilidade de ambos os cônjuges, a maior proporção entre as capitais.
Entre os estados, Bahia se destacou com 17,27% dos filhos menores cuja guarda foi compartilhada entre os dois pais. Amazonas (2,2%) e Rio de Janeiro (3,03%) registraram os menores percentuais.
A pesquisa mostra ainda que houve queda das percentagens de divórcios cujo regime de bens
do casamento foi o de comunhão universal, passando de 29,9%, em 2000, para 13,9%,
em 2010.
O percentual de divórcios de casamentos com regime de comunhão parcial de bens subiu, em 10 anos, de 66,1% para 81,7%. Os divórcios dos casamentos com regime de separação de bens, por sua vez, se elevaram, de 3,7%, em 2000, para 4,1%, em 2010.
Pesquisa coletada do site ? http://g1.globo.com/brasil/noticia/2011/11/numero-de-divorcios-no-brasil-e-o-maior-desde-1984-diz-ibge.html
 
Reflexão

Um sentimento de desespero paira sobre nós quando vemos esses dados, porém o que nos traz esperança é o Senhor. O que podemos fazer?
Continuar a lutar pelas famílias de nosso país, pois se pararmos ficará pior, assim quero motiva-los a entrar nessa batalha conosco, temos muito trabalho pela frente.
A transformação de uma Nação começa com a restauração dos valores de um individuo, quando estamos dando um curso, estamos criando uma mudança de mentalidade em relação à aliança de casamento.
Além de fechar portas destrutivas que estão influenciando a geração seguinte, quando aplicamos esses valores e os casais se arrependem e tomam decisões, não afeta somente seus casamentos, mas toda uma geração.
É preciso acelerar esse trabalho, pois nossos filhos não podem pagar por essa conta que nós pais abrimos no tempo de hoje.
Uma visão sem uma ação, não passa de um sonho, uma ação sem uma visão não passa de um passa tempo, mas uma visão com uma ação podemos transformar o século XXI.
 
Pois é mediante o Espírito que nós aguardamos pela fé a justiça que é a nossa esperança.
Gálatas 5:5
 
Contamos com vocês para o segundo semestre!

Número de divórcios no Brasil é o maior desde 1984, diz IBGE.


Taxa de divórcio atingiu seu maior valor, de 1,8 por mil habitantes em 2010.
Segundo IBGE, mudança na legislação contribuiu para elevação.
 
O fim da exigência de prazos para dissolução dos casamentos fez com que a taxa geral de divórcios atingisse, em 2010, o seu maior patamar desde 1984, quando foi iniciada a série histórica das Estatísticas do Registro Civil, divulgada nesta quarta-feira (30) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).
  • Recasamentos representam      18,3% das uniões no Brasil, diz IBGE
  • Quase 30% dos nascimentos      têm mães com mais de 30, diz IBGE
  • Homens jovens são os que      mais morrem de causas violentas, diz IBGE
  • Número de mortes não      registradas cai no país, diz IBGE
A taxa geral de divórcio no país atingiu seu maior valor, de 1,8 por mil habitantes no ano de 2010 entre pessoas de 20 anos ou mais, segundo o instituto.
Em 2007, a possibilidade do divórcio por via administrativa também impulsionou o crescimento da taxa, avaliou o instituto.
Segundo o IBGE, foram registrados no ano passado 243.224 divórcios, por meio de processos judiciais ou escrituras públicas, e as separações totalizaram 67.623 processos ou escrituras.


Uma mudança constitucional, em vigor desde julho do ano passadopermitiu acelerar os pedidos de divórcio no país. Assim, a taxa geral de separação apresentou queda significativa, chegando a 0,5 (uma separação para cada 500 pessoas), o menor índice desde o início da série. Até então, para se divorciar o casal precisava ter pelo menos um ano de separação judicial ? decretada por um juiz ? ou dois anos na separação de fato, em que marido e mulher já vivem separados, mas são considerados casados perante a Justiça.
Com a nova regra, é possível requerer a dissolução do casamento a qualquer tempo, assim que o casal decidir seja o divórcio de natureza consensual ou litigiosa.


Segundo o IBGE, a análise da série mostra que a taxa geral de divórcio sempre subiu quando ocorreram alterações na legislação sobre o tema. ?A elevação da taxa geral de divórcio mostra, para além da questão legal, a consolidação da aceitação do divórcio pela sociedade brasileira?, destaca o estudo.
Em 2010, a idade média de quem se divorciou foi de 43 anos, entre os homens, e de 39 anos, entre as mulheres. Em 2000, a idade média dos homens e mulheres que se divorciaram era, respectivamente, 41 e 38 anos.
 
Quanto à natureza dos divórcios, 75,2% foram consensuais, em 2010, segundo o IBGE.
Dentre os não consensuais, 52,2% foram requeridos por mulheres. No caso das separações, 71% delas foram consensuais em 2010. Entre aquelas que foram judiciais não consensuais, 70,5% foram requeridas pela mulher.                                                               Segundo a pesquisa, 40,9% dos divórcios registrados no ano passado foram de casamentos que duraram no máximo 10 anos. Em 2000, os divórcios de uniões com até 10 anos representaram 33,3% do total.
O levantamento mostra que houve uniformidade na distribuição dos divórcios por anos de duração do casamento. Os menores percentuais observados até o primeiro ano da união e os posteriores a 28 anos. Os maiores percentuais de divórcios se concentraram na faixa de 2 a 5 anos de casamento. 
 

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Marcha para Jesus em Cubatão com Thalles Roberto

Data: 30 de junho
Concentração: Praça do Crevin (Vila Nova)
Início: 13h
Previsão de término: 22h00
Inscrições de Cantores:
Mario Leite (Assessoria de Comunicação – UNIPEC)
Telefone: 8818-8171
Informações à imprensa:
Marcio Teixeira (Assessoria de Comunicação – UNIPEC)
                            Comunicação, Sexo e Dinheiro


Para muitos, o casamento pode ser a coisa mais próxima do céu ou do inferno. Como homens, precisamos entender que Deus fez os dois sexos de forma única, para serem diferentes de todas as outras criaturas, inclusive entre si. Apesar disso, são essas mesmas diferenças que causam dificuldades para manter o homem e a mulher juntos. As diferenças foram projetadas para trazer equilíbrio e bênção, e não para desestruturar, perturbar ou destruir vidas.
Objetivos:
1. Ver a verdade de Deus trazendo liberdade aos homens, dando-lhes vidas maximizadas que tragam impacto às famílias, comunidades e nações.
2. Fazer discípulos – homens fiéis, capazes de ensinar também a outros.
(2 Timóteo 2.2)
3. Inspirar, edificar e motivar os homens, tornando-os fortes e aptos no auxílio pastoral.
4. Ajudar os homens a desenvolver habilidades de leitura e aprendizagem.
Conteúdo do Curso:
01. O homem : a glória de Deus
02. A singularidade da mulher
Parte 1: COMUNICAÇÃO
03. Comunicando-nos com Deus
04. Nossa palavra é um compromisso
05. Um compromisso no casamento
06. Palavra, atitude e espírito
07. Agindo
08. De espírito para espírito
Parte 2: SEXO
09. A santidade do sexo
10. A glória da virgindade
11. O princípio da libertação
12. Deus criou o sexo para ser bom
13. A circuncisão do casamento
Parte 3: DINHEIRO
14. Servo ou senhor
15. Dar e receber
16. Dívida de amor
17. Os princípios de investimento
18. “Porém o maior destes é o amor”
19. Entre em ação!

                   Sua importância na família


Por Karine Rizzardi
 “O que me levou escrever essa coluna foi uma frase que li e me encantei. Não consegui encontrar o autor, mas a frase dizia: “O mundo oferece aos homens e aos pássaros mil lugares para pousar, mas apenas um ninho.”
Juntei essa frase com a lembrança de uma entrevista que assisti de um homem que viajou exatamente 90% dos lugares do mundo todo e ele disse que lugar que ele mais se atraia era pela sua própria casa. Comentou que era muito encantador conhecer lugares e culturas diferentes, mas que quando ficava em sua casa era o que mais lhe trazia significado a sua vida. Finalizou a entrevista dizendo que o homem percorre o mundo à procura da felicidade, mas volta para casa e só a encontra lá.
Que curioso, mas não é novidade para ninguém a importância da vida familiar, mas todos nós temos necessidade de ter uma base de segurança emocional pelo qual retornamos e é lá que alimentamos nossa área emocional. Mesmo que isso demande esforço, é na companhia dos nossos familiares que encontramos colo, aconchego e amor. Penso que passamos maior parte de nossas vidas tentando ganhar o mundo, mas a pessoa mais bem sucedida é aquela que investe na seio familiar, pois ela está consciente que está deixando um legado para outras gerações.
Houve uma dia que eu estava grávida da minha segunda filha e a noite, eu e meu marido fomos levar a mais velha dormir. Vi que antes mesmo de nós falarmos, nossa filha ficou de joelhos no berço, fechou os olhinhos e juntou as mãozinhas para fazer “papai do céu”. Eu olhei aquela cena e vi meu marido também concentrado em fazer a oração e naquele dia eu me senti a pessoa mais feliz do mundo. Coloquei a mão na minha barriga e na minha oração pedi que outras pessoas sentissem o mesmo sentimento que o meu naquela hora, pois eu me senti completamente realizada.
Lane Adams disse que por causa do nosso ego, fazemos o melhor possível em benefício de pessoas com quem pouco nos importamos e nos esforçamos o mínimo em benefício de quem significa muito para nós. Digo isso para aqueles que se dedicam demais para o trabalho ou então, para outros que tem se seduzido facilmente pelos convites a infidelidade. Não vale a pena você jogar toda luta, todas as vitórias e conquistas para entregar na mão de algo que não irá te retribuir emoções na mesma proporção. É o mesmo que você trocar ouro por palha, ou seja, o valor de um não se compara com o valor do outro. Certamente isso lhe oferecerá grandes emoções, mas o custo benefício a longo prazo não é válido.
Tomas Jefferson, que foi homem que mais teve poder quando atuou como presidente dos EUA, ele mesmo disse que os momentos mais felizes de sua vida foram aqueles poucos que ele pôde passar na casa dele, no seio de sua família. Mesmo com todo seu poder, honra e riqueza, nada lhe foi mais significativo que as pessoas que amava.
Família pode dar trabalho, nos suga de vez em quando, nos deixa loucos e até sem rumo as vezes, mas no final… é nossa família. São as pessoas que devemos honrar pois nenhum dinheiro ou conquista gera mais satisfação do que ver um casal dormindo juntinho em uma noite de frio, ver seu filho dar os primeiros passos e duas pessoas envelhecendo juntas, olhando para trás com a certeza de um passado bem vivido.”


A autora é psicóloga especialista em casais e família
karinerizzardi@hotmail.com

           O que fazer quando o amor esfria?


Por Karine Rizzardi*
Há muitos anos atrás eu vi um livro do Gary Chapman que falava das quatro estações que o casamento passa. Não cheguei a ler o livro mas entendi o recado quando ele disse que todos nós passamos por verões, primaveras, outonos e até invernos existenciais na vida afetiva. Difícil mesmo, é quando o casal se percebe congelado em um frio afetivo sem medidas, onde ambos sentem que os flocos de neve congelam até os sentimentos. Não sentem necessidade de investirem em tempo juntos, não ligam mais para a opinião do outro e até mesmo os beijos deixam de ser freqüentes. Mas o que deve ser feito para recuperar a força da relação?
Antes de mais nada, é necessário esclarecer algo que muitos confundem. As pessoas em geral, pensam que o amor é um sentimento, mas não é. Ele é muito mais do que isso – é uma decisão. Se você pautar seu amor nas alegrias que vive, você dirá que nos dias felizes está amando porque tudo está bem e quando vocês brigam ou estão com raiva é porque não sabem se amam mais um ao outro . Se alegrar e amar implica em uma decisão, ou seja, muitas vezes você terá tempestades e dias frios, mas não quer dizer que deixará de amar o outro por causa disso. Quando você DECIDE amar, essa decisão independe das circunstâncias, porque você automaticamente escolheu, decidiu amar aquela pessoa. Quando isso acontece, você fecha os espaços para um possível voto de infidelidade e até mesmo de pensar em separação, porque simplesmente fez sua escolha de viver a vida na alegria e na tristeza, na saúde e na doença com a pessoa que um dia foi sua escolha. Isso é um mito que precisa ser desfeito.
Mas voltando a pergunta inicial: Como podemos recuperar os “verões” da vida a dois?
A primeira atitude necessária para as chamas se reascenderem é o casal constatar junto o vazio em que se encontram, sem perderem tempo em culpabilizar um ao outro. Nesta hora, doses extras de maturidade são importantes, pois é o momento em que o casal assume que estão necessitando retomar algumas ações, mesmo que estejam sem vontade.
Em um segundo momento, é salutar ver que se o casal tentou reaproximação, mas mesmo assim a relação ficou travada, é porque lá no fundo eles não estão vendo a relação como uma prioridade. Nesta hora é importante analisar se os filhos, os afazeres, o trabalho ou coisas extras não estão tomando mais espaço do que a relação a dois (nem que seja em um dia da semana). É importante para os filhos saberem que o pai e a mãe tem o “dia do namoro”. Assim eles crescem mais seguros referente ao envolvimento afetivo e como escrevi anteriormente – amar é uma decisão.
Em terceiro lugar, o casal precisa fazer uma revisão do que falta para restaurar as ações de antes já vividas.É nesta hora em que é bom voltarmos no tempo onde tudo estava bem e lembrarmos das coisas que fazíamos anteriormente e que por motivos de forças maiores, deixamos de fazer: Temos dado menos risadas, temos estado menos afetivos um com o outro, precisamos tirar mais tempo para falar de nós dois ou de sair mais juntos? Você que está lendo essas palavras pode ser usado ou usada como um instrumento para produzir isso no seu relacionamento, comentando essas soluções com seu ou sua parceiro(a).
De atenção a esses três pontos: Constatar juntos, priorizar a relação e fazer um levantamento de atitudes que precisam ser retomadas. Isso irá reaproximando o casal, onde dentro de alguns meses se sentiram reavivados novamente. Que os adolescentes sejam nossos professores quando olhamos seus exemplos e vemos que eles nunca deixam o amor em segundo plano. Amar é uma escolha.

*Karine Rizzardi –  Psicóloga especialista em casais e família. É líder do Ministério Educação de Filhos à Maneira de Deus (UDF), articulista das Revistas Caras e Contigo e colunista do Jornal O Paraná.

         O que estamos fazendo com nossas crianças?


Por Daniela L. X. Rezende*
“Agora, vou falar dos seus direitos: o seu direito de sentar, seu direito de quicar, direito de rebolar… fica caladinha, fica, fica caladinha.”
“Hoje eu vou pro baile de sainha (daquele jeito)… hoje eu to solteira e ninguém vai me segurar… se elas brincam com a xaninha eu faço o homem enlouquecer.”
“Ela sai de saia e bicicletinha, uma mão vai no guidão a outra tapando a calcinha.”
Você deve estar no mínimo achando estranhas estas frases em um artigo, talvez você não as conheça (o que é difícil), mas se você é do tipo “baladeiro” com certeza sabe que estou me referindo a um poema musicado, um estilo musical. Pra você que não sabe do que estou falando, vou explicar. Trata-se da febre que invadiu as ondas de rádio e tv, baladas e festas, as casas e a vida das pessoas, para alguns tornou-se quase um estilo de vida.
O Funk surgiu na década de 60 através da música negra, com um ritmo mais lento e sexy, de lá para cá foi passando por adaptações até chegar ao que é hoje no Brasil que segue o estilo do Funk Carioca. Um ritmo mais acelerado e dançante, com conotação erótica, caracterizado por músicas de letras sensuais e de duplo sentidos, por vezes vulgares, expondo uma sexualidade exacerbada.
Mas, o que um estilo musical tem a ver com educação de filhos, crianças e jovens? Outro dia participei de uma festa para crianças de 9 a17 anos e confesso que fiquei incomodada com o que vi. Crianças de 9,10 e 11 anos cantavam as músicas funk em alto e bom som com uma naturalidade nada natural para a idade.
Mais que cantar, elas dançavam com “a bundinha até o chão”, gestos obscenos demais para um corpo tão pequeno e frágil, o que me levou a propor aqui uma reflexão. O que estamos fazendo com nossas crianças?
Com que idade o sexo deve ser apresentado a elas? Porém, a pergunta mais relevante é: Como o sexo deve apresentado a elas?
Vivemos em um país em que a cultura sexual é mais acentuada que em muitos países. A sensualidade é saudável e faz parte do ser humano, um casal se atrai também pela sensualidade e há um jogo de conquista, uma dança entre os pares até chegar ao ato em si.
Isto não é problema, o problema é que há um tempo, uma época certa para que isto aconteça, onde é preciso que haja maturidade e autocontrole para administrar seus sentimentos e desejos.
Novamente, o que a música tem a ver com tudo isto? Preste atenção nas letras, nos movimentos, nas expressões. Algumas delas são praticamente uma preparação e reprodução dos movimentos do ato sexual, outras trazem inclusive gemidos em seu refrão.
Você pode estar pensando agora que as crianças não sabem o que estão cantando e por isto as músicas seriam inofensivas, porém Schoenberg dizia que “A música é uma sucessão e combinação de tons, organizados de tal forma que deixam uma impressão agradável no ouvido, e a sua impressão na inteligência é compreensível. Estas impressões têm o poder de influenciar partes ocultas da nossa alma e das nossas feras sentimentais”.
A música é algo tão forte para nós que tem o poder de provocar emoções e gerar sentimentos, podendo ser utilizada inclusive como uma estratégia de aprendizagem.
Para FARIA (2001, p. 4), “A música passa uma mensagem e revela a forma de vida mais nobre, a qual, a humanidade almeja, ela demonstra emoção, não ocorrendo apenas no inconsciente, mas toma conta das pessoas, envolvendo-as trazendo lucidez à consciência”.
Ou seja, a música pode sim influenciar o comportamento das pessoas, quando se quer causar comoção, compaixão ou identificação basta uma música de fundo. Uma cena de amor, medo ou superação não teria o mesmo impacto no telespectador sem uma trilha sonora. Do mesmo modo nossas crianças estão cantando e dançando uma sensualidade sem limites que com certeza irá refletir em suas vidas dentro de pouco tempo. Uma pesquisa norte americana revelou que jovens que ouvem músicas que contenham referências sexuais e degradantes, começam a fazer sexo mais cedo (ou investem nas preliminares, como masturbação), o número de adolescentes grávidas também é maior neste quadro. O autor do artigo, Brian Primack, da Universidade de Pittsburgh declara: “O estudo mostra que, entre essa amostragem de adolescentes, muita exposição a letras de músicas com conteúdo sexual é associada a altos níveis de comportamento sexual. Isso prova que essa área precisa de intervenção, para a saúde dos jovens”.
Esta pesquisa ainda não foi realizada no Brasil, mas creio que reflete também a nossa realidade. Nossa tarefa deveria ser de proteger nossas crianças, educa-las no sentido de levá-las a uma sexualidade saudável onde meninos respeitam e honram qualquer garota. Uma menina não precisa se comportar de maneira a oferecer seu corpo e sua sensualidade como algo banal, sem valor, em que ela seja vista como “cachorra, tchutchuca, potranca” ou adjetivadas por nomes de frutas como vemos por aí.
Como adultos estamos perdendo a noção do que é benéfico ou não para nossas crianças, “Olha como ela dança bonitinho” “Meu filho é pegador” são frases que ouço como se fosse natural e louvável. Desculpem-me a sinceridade se alguém se sentir ofendido, mas para mim isto não passa de uma desnudação de valores. Ao permitir que nossas crianças sejam expostas a todo e qualquer tipo de música, programas, filmes, desenhos e livros sem censura, tiramos delas o direito de conhecer o sexo maneira e pura e natural, sabendo o objetivo pelo qual foi criado, procriação e prazer saudável.
Como pais e educadores devemos sim ensiná-los a selecionar tudo que veem e ouvem e quando tiverem maturidade suficiente poderão escolher o estilo de música, roupa ou estilo de vida querem para si e sua família, até lá cabe a nós protege-los e direcioná-los da maneira mais saudável possível.
O que estamos fazendo com nossas crianças?
*Daniela é autora dos livros Coisas de Meninos e Coisas de Meninas da Editora UDF. 

               Romance à Maneira de Deus


Nos relacionamentos entre pais e filhos nos dias atuais, foram abandonados os princípios e valores eternos de Deus, e uma das conseqüências disso é a elevada taxa de gravidez precoce entre jovens e adolescentes.
Deus criou a autoridade paterna com a finalidade de proteger os corações dos filhos, e foi dado por Ele em sua Palavra, para nossa proteção. Este é um caminho eterno e uma vereda de Deus para que pudéssemos ter casamentos saudáveis.
Contudo, em nossa cultura, o homem usa sua autoridade não para proteger, mas para violar a sexualidade da mulher.
Quando os jovens decidem crer que essa dádiva que Deus colocou em suas vidas precisa ser guardada e protegida, passam a confiar que seus pais serão seus parceiros na escolha do cônjuge. Esta é uma escolha que os jovens cristãos que amam a Deus precisam fazer:
“Eu quero estar debaixo da autoridade de meus pais, pois creio que Deus os usará para proteger minha alma e ser a porta de meu coração e de minhas emoções.”
“Eis que eu vos enviarei o profeta Elias, antes que venha o grande e terrível Dia do SENHOR; ele converterá o coração dos pais aos filhos e o coração dos filhos a seus pais, para que eu não venha e fira a terra com maldição”. (Malaquias 4:5,6)
Objetivo:
• Encorajar as pessoas a experimentar um relacionamento mais íntimo com Jesus Cristo (Lc 16:11).
• Desafiar cada pessoa a convidar Jesus Cristo para ser o seu Senhor (Mt 6:24).
• Estabelecer um relacionamento de amizade entre os participantes.
• Ajudar e encorajar os participantes a restaurar relacionamentos.
• Criar um canal de comunicação efetivo e duradouro entre pais e filhos.
• O objetivo deste curso é levar os pais a conhecerem melhor o coração do filho, e vice-versa.
Conteúdo do Curso:
1 – Padrões de Relacionamentos
Deus valoriza tanto este tema que enviou Jesus para restaurar os relacionamentos quebrados através do amor.
2 – Corte Versus Namoro
NAMORO – Relacionamento egoísta baseado na auto-gratificação física.
CORTE – Constrói um relacionamento através da confiança mútua debaixo de cobertura.
3- Os Propósitos e os Limites de Deus nos Relacionamentos Românticos
Envolvimento físico e sexual somente dentro da Aliança de casamento, para se prevenir contra as conseqüências da defraudação.
4- A Estrada da Concupiscência
Como se livrar desta estrada, que começa com a curiosidade e vai até a depravação e a perversão.
5- Um Pai à Porta do Coração do Filho
Filhos obedientes e pais responsáveis produzem: cobertura, proteção, segurança, identidade e destino em Deus.
6 – Autoridade: Deve ser Concedida e não Imposta
AUTORIDADE – Reconhece a vontade oferecendo escolhas com conseqüências incluídas.
CONTROLE – Não reconhece a vontade das pessoas.
7 – Causas da Rebelião Adolescente
Falta de amor demonstrado, rejeição, abandono e abusos produzem reações erradas em relação a Deus e aos pais.
8 – Desenvolvimento do Amor Romântico
Não é místico, mágico, de Deus ou do diabo, mas é um processo de semear aceitação e amizade debaixo da proteção dos pais.
9 – Oito Qualidades de Caráter na Busca de um Cônjuge em Potencial
Ser salvo – Identidade em Deus – Submissão – Consciência limpa – Rendido a Deus – Liberdade moral – Destino em Deus – Liberdade financeira.
10 – Sete Fases de uma Corte de Acordo com os Padrões de Deus
Caráter – Pais – Deus – Generosidade – Responsabilidade – Sujeição – Aliança.

Os Sete Atributos de Influência de Um Homem


Por Paul Cole*
Viajando pelo mundo há mais de quarenta anos no ministério de negócios, e trabalho de compaixão (trabalho social), tive a oportunidade de conhecer milhares de líderes. Alguns me chamaram a atenção por sua capacidade de influenciar os outros, não com base na posição, poder, dinheiro ou talento. “Um homem influente” influencia outros simplesmente pela grandeza de sua vida. Abaixo, estão relacionadas algumas das minhas observações, não uma lista exaustiva de traços de caráter, mas os principais ingredientes que compõem aquilo que ele exterioriza.
1. Reputação – O caráter piedoso de um homem é revelado quando sua vida é provada.
Os homens e as nações, não são grandes em virtude da suas riquezas, mas pela riqueza de suas virtudes. O caráter é sempre o problema na família, no casamento, na profissão, no sucesso ou fracasso de um homem. O caráter é a qualidade de fidelidade mais facilmente visto em um homem no que ele faz quando está sozinho. Ou, o que ele faz quando sabe que as consequências humanas são insignificantes e as opções legalmente admissíveis, ainda que possam ser imoral, antiético, particularmente injustos, mas ele tem a escolha de fazer aquilo. Essa escolha é a diferença entre homens que se levantam para a grandeza, ou homens que apenas vivem uma vida.
2. Ética – Ele mantém a sua palavra.
Esta pode ser a coisa mais difícil de fazer no mundo dos negócios e relacionamentos. As circunstâncias nos desviam, outras prioridades invadem nosso pensamento, ouvimos relatos negativos. Confiamos em Deus porque Ele sempre manteve sua Palavra. O nome dele é bom, porque a Sua Palavra é boa. Como a Palavra de Deus é para Ele, a nossa palavra deve ser para nós.
3. Moralidade – Há uma imensa força interior no centro do seu coração.
Na maioria das vezes, podemos ver isso na maneira que um homem usa o seu dinheiro. O centro de influência controla sua carteira. A Palavra diz que o coração de um homem segue o seu dinheiro, onde está o seu dinheiro, está o seu coração. O foco de seus recursos é o resultado de seu fundamento moral. Em contraste com o espírito de miopia egoísta dos homens imorais, o espírito moral reduz o stress, produz o foco, mantém as coordenadas e olha para fora.
4. Um coração calmo e controlado pelo Espírito Santo produz sabedoria.
Paz é produzida por padrões de pensamento que são estabelecidos pela oração. Intimidade com Deus produz paz no homem interior. Então, o pensamento torna-se pai para a escritura. As ações de um homem vêem do seu coração. Um homem de paz produz soluções com base na verdade. Solução de problemas para si ou para outros produz influência. Deus tem influência sobre nós, porque Ele resolveu o problema do pecado. Paz não é ausência de pânico, pois a sabedoria tem sempre um lugar para pousar. Sabedoria não virá de conflitos. A sabedoria tem espaço para tomar impulso quando a paz está governando o coração de um homem.
5. Hábitos/Disciplina.
A “vontade de vencer” não é o que ganha o jogo. O jogo foi vencido muito antes de ser jogado. É a vontade de se preparar para vencer que ganha o jogo. A disposição para a vida disciplinada é a chave para uma vida bem sucedida. O grande boxeador Muhammad Ali disse: “A luta é ganha ou perdida longe de testemunhas, por trás das linhas, na academia e lá fora, na estrada, muito antes de eu dançar sob as luzes.”
6. Ele assume a responsabilidade.
Maturidade não vem com a idade, mas com a aceitação da responsabilidade. No governo, o que não podemos controlar, descriminalizamos. Na igreja, o que não podemos controlar, racionalizamos e psicologizamos; isso é imaturidade! O homem influente não precisa receber reconhecimento em público. Ele age com justiça, porque é o que ele acredita. Ele é um homem coerente. Um homem comprometido com a Palavra de Deus é consistente, firme e forte. Este é um homem que todos sabem onde ele está. Ele não muda com o sopro do vento. Ele mantém constantemente, o mesmo coração, mente, espírito e ações. Se você fizer um acordo com ele, ele o cumpre. Seus filhos confiam nele, e ele sempre honra sua esposa. Seus amigos vão até ele por um conselho sábio. Por quê? Seu coração é sólido. Este é um produto de uma mente centrada na Palavra de Deus.
7. Ele é um amigo.
Jesus era conhecido como um “amigo dos pecadores.” Existe uma grande diferença entre ser amigo e ser apenas simpático. Ser simpático significa que não aceita qualquer responsabilidade pelo bem-estar da outra pessoa. Ser amigo significa que aceita as obrigações e contexto de ser alguém que seus amigos possam depender. Um amigo é absorvedor dos traumas da vida. O poder da vida de Abraão, o pai da fé, é que ele era conhecido como um amigo de Deus. Os homens que vão assumir a responsabilidade de ser um amigo, de estar lá para ajudar, de estar preocupado com o bem-estar do outro, serão os homens de influência. Ser amigo é a característica principal de um homem que serve. O princípio é que, você está qualificado para conduzir outros, na mesma proporção em que você está disposto a servir. Servir é o fundamento da influência.

Homens Românticos: Uma raça em extinção?


Por Pr. Sergio e Magali Leoto*

“Como você é bela, minha querida! Como você é linda! Como os seus olhos brilham de amor!;  como a macieira entre as árvores da floresta, assim é o meu amado entre os outros homens. Eu me sinto feliz nos seus braços, e os seus carinhos são doces para mim. Ele me levou ao salão de festas, e ali nós nos entregamos ao amor”. (Cânticos de Salomão, 1:15; 2:3-4)

O rei Salomão, reconhecido como um dos maiores sábios de todos os tempos, foi um grande exemplo de homem romântico! Mas, E NOS DIAS DE HOJE? As mulheres se queixam de que os Românticos são uma raça em extinção! Será?  
Por quê quase todas as MULHERES são românticas e é tão difícil encontrarmos HOMENS românticos? Esta é uma pergunta que muitas pessoas nos fazem, como se tivessemos o poder de desvendar os grandes mistérios do comportamento humano. Não, não temos este poder. E também temos a mesma curiosidade! Mas ouvimos, no entanto, uma boa resposta (claro que em tom de brincadeira) em um dos Encontros de Casais que fizemos: – Quando Adão foi criado, Deus ainda não tinha aperfeiçoado o “Chip do Romantismo” para colocar no cérebro do homem. Como a mulher foi criada depois, o “chip” já estava pronto e a Eva já nasceu romântica!!
Brincadeiras à parte, a verdade é que encontramos pouquíssimas mulheres que não são românticas ou que não apreciam o romantismo. Os homens ao contrário e através dos anos aprenderam a se tornar românticos para conquistarem as mulheres. O processo é mais ou menos assim:

 1. HOMENS AOS 5 OU 6 ANOS DE IDADE: 
Quando o homem ainda é criança, tendo mais ou menos 5 ou 6 anos, ele não quer nem saber de ficar brincando junto com garotas. São as “meninas” de um lado e os “garotos” do outro. É o chamado “Clube da Luluzinha” (onde meninos não entram) e o “Clube do Bolinha” (onde as meninas não entram)! Não tentem juntá-los, que sairá briga!

2. HOMENS AOS 11 OU 12 ANOS DE IDADE: 
A situação muda quando os homens crescem e ficam com 11 ou 12 anos. Os hormônios começam a trabalhar e nesta idade os garotos passam a se sentir atraídos pelas meninas. Mas são tão imaturos que não sabem como se comunicar com elas! Nesta idade é comum um garoto cumprimentar o outro menino com um tapa no braço: – “E aí, tudo bem?” (e dá um tapa no braço do amigo); o amigo responde: – “Tudo bem!” (e também lhe dá um tapa no braço).
Quanto maior for a amizade, mais forte será o tapa. Aí o garoto inexperiente, acha que as meninas gostarão de ter o mesmo tipo de tratamento. Quando ele percebe que dar um tapa no braço da menina foi uma tremenda bola fora porque a menina o achou um agressivo e sem educação, o menino de 11 ou 12 anos vai consultar os “grandes conhecedores dos caminhos do amor” (pelo menos, é o que eles acham!): os adolescentes de 16 ou 17 anos!! O que eles dizem? – “Não é dando tapa que você conquistará as meninas! Você tem que elogiá-las, ser romântico, enfim: TEM QUE TER UMA BOA CONVERSA. TEM QUE SER BOM DE LÁBIA!”.

3. HOMENS NA ADOLESCÊNCIA E JUVENTUDE: 
Nesta fase os homens aperfeiçoam a cantada, para conseguirem conquistar suas “fêmeas”, aquelas que eles escolherão para se casar. Desde adolescentes eles aprendem que podem atrair a atenção das mulheres com pequenos atos de romantismo: uma flor, um bombom, um elogio, etc. Nesta época os homens ainda não têm tanto dinheiro para comprar presentes, porém eles compensam esta falta de dinheiro com muita CRIATIVIDADE. Não tem dinheiro para flores? Vamos apanhá-las à beira do caminho e improvisar um lindo “buquê”. Não dá para pagar um restaurante? Vamos tomar só um refrigerante na lanchonete e ficar conversando por horas!
E não é que os homens ficaram bons na arte de ter uma boa lábia para conquistar as mulheres? Tanto isto é verdade que hoje se vê uma grande quantidade de homens não tão atraentes, porém casados com mulheres lindas! Sabe como eles conseguiram? TIVERAM UMA BOA LÁBIA! Aprenderam a arte do Romantismo, para poderem conquistar suas “fêmeas” e casar com elas!

4. HOMENS APÓS SEUS CASAMENTOS 
Depois que conseguem casar, muitos homens relaxam na área do Romantismo. Tiveram que se esforçar e usar sua criatividade, por tanto tempo antes de casar, que após conseguirem escolher suas esposas e casar com elas, deixam gradativamente as atitudes românticas de lado!
Devido a terem uma rotina estressante num mundo cada vez mais competitivo, os homens passam a tratar suas esposas como tratam diariamente os outros homens. Vamos dar um exemplo: se o homem trabalha numa loja de materiais de construção, muitas vezes trata seus funcionários aos gritos: 
- “Onde está o saco de cimento que eu pedi? E aquela madeira? Vocês estão enrolando no cafézinho? Vou demitir todo mundo, seus incompetentes!”. 
Quando este mesmo homem chega em casa, como você acha que ele tratará sua mulher? Muito provavelmente, da mesma forma como ele trata os outros homens, durante boa parte de sua vida – também aos gritos:
- “Ô mulher, ovo frito de novo? Você ainda não passou a camisa que eu pedi? Você não sabe fazer nada direito?”. Onde foi parar o Romantismo, que os homens usaram para conquistar suas esposas?
Mulheres não podem ser tratadas como se fossem homens! São diferentes em vários aspectos, não só na área física, mas também na psicológica. Na maioria dos casos, elas tiveram desde a infância, brincadeiras menos agressivas que os meninos; cresceram convivendo com um ritmo de conversa mais delicado do que os homens e têm expectativas de serem tratadas de modo mais cordial que os homens.
O Romantismo é uma parte muito importante no casamento. É o Romantismo que traz mais dinâmica a certas rotinas inevitáveis, traz mais cor e luz em momentos sombrios, traz mais sabor a relacionamentos que estavam perdendo seu paladar. O único problema do Romantismo é que ele não tem vida própria! Não acontece sozinho. Precisa ser CULTIVADO regularmente, senão ele MURCHA! Quando é esquecido e não é levado a sério, fica semelhante à flor que não foi regada: vai morrendo aos poucos. Se pensarmos que o Romantismo é uma parte essencial do matrimônio, chegamos à conclusão de que sem ele, o casamento perde muito da sua cor, luz e sabor!

5. COMO RESTAURAR O SABOR DO ROMANTISMO?
Existem muitos livros que trazem idéias de como se tornar mais romântico, com o cônjuge ou o namorado. Vamos citar alguns:
  •  “101 idéias de como paparicar sua esposa (e seu marido)”, David e Carol Merkh, Ed. Hagnos.
  • “Como fazer amor sem tirar a roupa. 101 maneiras de conquistar sua esposa (e seu marido)”, David e Anne Frahm, Ed. United Press.
  • “Como realmente amar sua esposa (e seu marido). 220 maneiras criativas de dizer: eu te amo”, H. Norman Wright, Ed. Atos.

Queremos no entanto, deixar também algumas dicas práticas: 
  • Mulheres amam ganhar flores: será sempre uma boa pedida, não apenas no dia do aniversário dela ou do casamento – surpreenda-a em um dia comum, levando flores!
  • Mulheres amam cavalheirismo: abrir porta do carro, puxar a cadeira para que possam sentar, carregar as sacolas pesadas, segurar a mão dela quando está com aquele salto…
  • Elas “adoram” surpresas: flores, bombons, jantares surpresa, declarações, poesias, um passeio, um piquenique, uma cesta de café da manhã…
  • Jantar à luz de velas é muito romântico: pode ser num restaurante ou em sua casa (mas sem filhos por perto). É sempre algo inesquecível!
  • Palavras seguidas de atitudes carinhosas: pequenos gestos de romantismo, toques, acariciar suas mãos, seu cabelo, beijar sua face, declarando o quanto ela é importante para você!
  • Elas amam sentir-se cuidadas e protegidas: por mais emancipadas que sejam, as mulheres sentem-se muito queridas, quando os homens ficam cheios de cuidados com elas (mas sem exageros).
  • Mulheres gostam de ser elogiadas e valorizadas: gostam de serem notadas. “Você acordou linda hoje! Você ficou maravilhosa com esse vestido! Seu projeto de trabalho ficou muito bom! Como você é inteligente!”
  • É romântico ser bom amigo e bom ouvinte: os homens acham que as mulheres falam demais. Mas faz parte da natureza delas a procura por alguém que as ouça, que ajude com alguns conselhos, que seja companheiro e amigo. Para isso é preciso haver confiança, honestidade, respeito e carinhos mútuos! 
Dentro dos seus corações as mulheres têm um “tanque emocional” que precisa ser cheio todos os dias. E esse combustível que é o AMOR. Da mesma forma que os nossos carros param de funcionar se não colocarmos combustível, também as mulheres ficarão estagnadas e cairão em uma profunda depressão se não colocarmos a cada dia em seu “tanque emocional” as palavras e atitudes cheias de Verdade, Amor e Romantismo. Você já “encheu o tanque emocional” da pessoa que ama, HOJE?

*Artigo feito a pedido da revista “Casal Feliz”.

Caixa de promessas